terça-feira, 18 de Maio de 2010

Motivos para deixar – ou nem sequer começar – a fumar

-Não temos mau hálito e as nossas roupas cheiram bem;

-Temos uma bem maior esperança de vida;
-As nossas capacidades desportivas estão no seu melhor;
-Poupa-se muito dinheiro;
-O olfacto e o paladar tornam-se mais apurados;
-A pele mantém um aspecto saudável, não fica baça;
-Os dentes continuarão sempre branquinhos;
-O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu a cifra de 4 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia;

“Justificações” que os fumadores dão ao seu vício:

- Fumar dá prazer;

- Fumar tem um bom sabor;
- Fumar é um ritual;
- Fumar provoca uma sensação de bem-estar e de relaxamento;
- Fumar ajuda a distrair e é uma forma de ocupar o tempo;
- Fumar é um factor estimulante;
- Fumar facilita a desinibição para contactos sociais;
- Fumar facilita a desinibição para contactos profissionais;
- Fumar é algo que ajuda a auto-afirmação.

E o fumador passivo???

Hoje sabemos os danos que uma pessoa pode sofrer se convive ou está exposta à fumaça de pessoas que fumam. Estes fumadores passivos podem ter bronquite, pneumonia, constipações frequentes e asma. Uma pesquisa feita nos EUA constatou que a causa de 3000 cancros de pulmão estava associada a fumadores passivos.


Um cigarro aceso produz dois tipos de fumaça: a que o fumador aspira e devolve depois de filtrada no seu pulmão, e a chamada fumaça lateral que é aquela com a qual o fumador passivo entra em contacto. Esta última sai directamente do cigarro e, por não passar pelo filtro do pulmão de quem está fumando, possui as mesmas substâncias tóxicas que a primeira em concentrações ainda maiores.
A fumaça lateral contém 3 vezes mais nicotina, 3 vezes mais monóxido de carbono e 50 vezes mais substâncias cancerígenas. Um não fumador que trabalhe junto a um fumador, no final de um dia de trabalho "fuma" de 1 a 4 cigarros. Cientistas têm mostrado que o fumador passivo absorve quase tantas substâncias tóxicas e carcinogenicas como o fumador activo e a incidência de cancro do pulmão nestes é o dobro da verificada na população em geral

Os poluentes do cigarro dispersam-se pelo ambiente, fazendo com que os não-fumadores próximos ou distantes dos fumantes, inalem também as substâncias tóxicas.
Os não fumadores e os filhos dos fumadores correm diversos perigos. Estudos comprovam que filhos de pais fumantes apresentam uma incidência 3 vezes maior de infecções respiratórias (bronquite, pneumonia, sinusite) do que de pais não fumantes.


Por outro lado, as grávidas não fumadoras que convivem com fumadores transmitem às crianças em gestação quase os mesmos efeitos nocivos como se fumassem.

Afinal, o que é a nicotina? Que males ela pode provocar ?


A nicotina é responsável por parte dos efeitos nocivos do tabaco e é a causadora da dependência química. A grande dificuldade que algumas pessoas enfrentam quando tentam abandonar o vício relaciona-se com a falta que o organismo sente da nicotina, o que dificulta, e muito, a desabituação. Essa substância, ao longo do tempo, provoca o desenvolvimento de tolerância, ou seja, a pessoa tende a consumir um número cada vez maior de cigarros para sentir os mesmos efeitos que originalmente eram produzidos por doses menores.



Alguns fumantes, quando param repentinamente de fumar podem sentir uma ânsia incontrolável por um cigarro, irritabilidade, agitação, prisão de ventre, dificuldade de concentração, transpiração excessiva, tonturas, insónia e dor de cabeça. Estes sintomas caracterizam a síndrome de abstinência e desaparecem dentro de uma ou duas semanas.

A vida média da nicotina no sangue é inferior a 2 horas. Quem fuma regularmente verifica que, a pouco e pouco, aumenta o número de cigarros fumados por dia. O tempo de intervalo entre dois cigarros encurta-se e adquirem-se outros rituais associados: as bebidas alcoólicas, o café, a chiclete e os ansiolíticos.
Além da nicotina, o cigarro tem na sua composição um grande número de substâncias tóxicas como o alcatrão e o monóxido de carbono. Há também substâncias irritantes como a acroleína, fenóis, acido cianídrico, amoníaco, etc. que são responsáveis pela contracção dos brônquios, pela tosse típica do fumador e pela alteração dos mecanismos de defesa do pulmão.

Os desportistas

Os atletas fumadores, mesmo os adolescentes, cansam-se com mais facilidade e têm maior dificuldade em recuperar do esforço realizado. O seu rendimento desportivo diminui devido a inalação de monóxido de carbono, que vai perturbar as trocas gasosas ao nível dos alvéolos pulmonares. O sangue recolhe menos oxigénio e a sua distribuição pelos músculos é menor.

Efeitos do Tabaco no Organismo:


Quando o fumante dá uma tragada, a nicotina é absorvida pelos pulmões, chegando ao cérebro geralmente em 9 segundos. Ao fumar um cigarro, a nicotina é imediatamente distribuída pelos tecidos.



§ Sistema Nervoso Central:


A nicotina é considerada um leve estimulante do humor, apesar de um grande número de fumantes relatarem que se sentem relaxados quando fumam. Regista-se a diminuição do apetite, dores de cabeça e tonturas.



§ Sistema Circulatório:


Enquanto fuma, o fumante regista um pequeno aumento no batimento cardíaco e na tensão arterial (aumento da vasoconstricção e na força das contracções cardíacas).
A repetição destes acontecimentos conduz ao risco de desenvolver doenças cardíacas que é de 60 a 70% mais elevado do que nos não fumadores, enfartes do miocárdio e derrames cerebrais (AVC).
A morte súbita cardíaca é 2 a 3 vezes mais frequente nos fumadores entre 35 e os 50 anos que nos não fumadores.


§ Sistema Digestivo:

O fumo causa uma maior lentidão das contracções do estômago, dificultando a digestão. O seu uso continuado dá origem, inicialmente, a náuseas, dores abdominais, diarreia, vómitos e, com o passar dos anos, a úlceras digestivas e cancros de esófago, boca e estômago.
Pode ainda escurecer a língua e os dentes e levar a perda do paladar.
Cancro da boca


§ Sistema Respiratório:


Os numerosos gases irritantes existentes no fumo do tabaco, como a acroleína e o formaldeído, estimulam a produção de muco nas vias respiratórias e impedem a expectoração, provocando a tosse do fumador e a alteração no olfacto. O seu uso continuado causa o desenvolvimento progressivo doenças pulmonares como infecção nas vias respiratórias, aumento da frequência respiratória, pneumonia, bronquite crónica, enfisema pulmonar e vários tipos de cancros como os de pulmão, laringe, faringe e traqueia.



§ Sistema Reprodutor:


Algumas crianças experimentam o primeiro cigarro entre os 11 e os 14 anos, por mera curiosidade incutida pela sociedade de consumo ou para se afirmarem, em grupo, como elementos mais amadurecidos. Regra geral o primeiro cigarro não sabe muito bem.
Se o adolescente insistir em habituar-se a fumar, depois de alguns cigarros, pode surgir a dependência, a qual irá trazer enormes dificuldades para se livrar do vício.
Depois dos 17 anos, o jovem passa por uma fase que se caracteriza por um dos dois tipos de atitude: pegar ou largar
Causa impotência e infertilidade.

§ Tabaco e gravidez:


Quando a mãe fuma durante a gravidez, "o feto também fuma" recebendo as substâncias tóxicas do
cigarro através da placenta. O tabagismo materno influencia o crescimento fetal, aumenta os batimentos
cardíacos no feto, provoca abortos espontâneos, gravidezes complicadas, partos prematuros, redução do pesoà nascença e o risco de alterações neurológicas no bebé.
Durante e amamentação, as substancias tóxicas do cigarro também são transmitidas para o bebé através do leite materno.

Para lembrar e falar do Tabaco

A fim de encorajar os fumadores a abandonar o tabaco e para despertar a consciência do público para o impacto do tabagismo na saúde, a Organização Mundial da Saúde determinou como oficiais para o combate à epidemia do tabagismo as seguintes datas:


§ O Dia Mundial sem Tabaco (31 de Maio)
§ O Dia do Não Fumador (17 de Novembro)

O objectivo é alertar as pessoas, divulgando os males do fumo para que reduzam cada vez mais o consumo.
Os fumadores passivos preocupam a OMS. Um fumador passivo tem 30 % a mais de hipóteses de ter cancro do pulmão e 24 % a mais de risco de enfarte.
As campanhas para controlo do tabagismo vêm recebendo um destaque cada vez maior em diversos países, ganhando apoio de grande parte da população. Se cada fumador conhecer, em pormenor, os malefícios do tabaco na sua saúde e os benefícios que poderá obter se deixar de fumar, então será mais capaz de reflectir e tomar uma decisão mais ponderada e definitiva. A informação é muito útil para advertir as pessoas para os males causados pelo fumo.